O que é mais importante: design ou funcionalidade?

 

O que é um bom design?


Esse artigo foi inspirado no texto do especialista em tecnologia Charles Arthur, “Jony Ive’s Mistakes: When Beautiful Design Is Bad Design”.  Nesse texto, o jornalista faz um histórico de alguns erros cometidos pelo principal designer da Apple, Jony Ive, que foi responsável pelo desenho de produtos como o iPod e o iPhone e deixou a empresa em 2019, após quase 30 anos.

Além de trazer um resumo com os principais pontos levantados por Charles, esse artigo pretende fazer uma reflexão sobre o que deve ser levado em consideração no desenvolvimento da sua presença digital: o melhor design ou a funcionalidade? O que traz uma melhor experiência para o usuário? Leia até o final para refletir sobre o que deve levar em conta ao pensar na experiência do seu cliente com a sua empresa.

A tradução do título do texto “O erro de Jony Ive: quando um design bonito é um design ruim.” já nos sinaliza uma resposta sobre como priorizar o design pode prejudicar a qualidade de um projeto. Para ilustrar isso, o autor traz o caso do “Hockey puck mouse”, um mouse USB lançado em 1998 (já descontinuado) e que supostamente seria melhor do que o seu antecessor por ter um design mais interessante e minimalista. No entanto, esse design “melhorado” tinha um formato inadequado para a mão humana e era difícil saber em que posição o mouse estava, como você poderá notar na imagem abaixo retirada do artigo:



O produto não era bom para ser utilizado, só era mais bonito supostamente do que o anterior.

Aqui o jornalista já nos traz uma ideia importante: “se um design é medido por quão bem ele funciona, aquele mouse tinha um design ruim”. E completa o pensamento com uma citação de Einstein de que "tudo deveria ser feito da maneira mais simples possível, mas nem um pouco mais simples". Charles conclui que o designer da Apple desconsiderou essa última parte.

Outro exemplo que podemos citar é o Magic Mouse que tem um design muito moderno e bonito, mas que só pode ser carregado quando não está sendo utilizado, já que a entrada USB, por onde o mouse recebe a carga, fica na parte de baixo do produto. :(



Em seguida, o exemplo trazido por Charles está em uma comparação com um produto de outro segmento e com um design não tão agradável, mas que atende melhor as necessidades do consumidor do que o equivalente da Apple, muito mais fino e bonito e que, mais uma vez, não é tão funcional. A comparação é entre o Apple TV Remote e o controle da Sky, na imagem abaixo, retirada do artigo, pode-se notar que, mais uma vez, o design da Apple é mais minimalista. No entato, torna mais difícil para que possamos manipular o controle. É a nossa mão que tem que se acomodar ao controle e não o contrário. Além disso, no caso do controle da Sky os botões são posicionados estrategicamente para que os mais usados tenham sempre melhor acesso, o que não acontece no caso do controle da Apple.
 


O artigo segue citando outros erros de Ives, como o exemplo do reconhecimento digital dos iPhones que ficavam no mesmo local do botão “home”, dificultando a funcionalidade para que se pudesse conseguir um design mais bonito.

Além das mudanças que saem da cabeça do time de designers, o artigo também cita algumas mudanças que podem ter sido feitas para satisfazer os anseios da equipe de Marketing. Em resumo, o artigo enfatiza que a preocupação com o utilizadores do produto ficaria em segundo plano e que isso deveria ser classificado como um design ruim.
 

Por que a experiência do usuário importa?


É importante que, ao pensar na sua presença online, você também tenha em mente a importância de fornecer uma boa experiência para o seu usuário e que o design bom é aquele que vai permitir que a pessoa encontre o que procura, navegue da melhor forma e resolva o problema dela com a sua solução, seja tirarando uma dúvida, obtendo informações de preço, realizando um pagamento ou qualquer outra coisa que seja relevante para ele. Não adianta, por exemplo, ter um site com as melhores combinações de cores, com os botões mais bonitos e a fonte (tipo de letra) mais harmoniosa se o site não é responsivo  e não abre direito no celular, os botões ficam todos juntos e a pessoa não consegue clicar direito ou se a fonte escolhida não tem uma boa visibilidade ou é personalizada, porém mais pesada e torna o site mais lento no carregamento, por exemplo.

A preocupação final do seu projeto e da sua presença online deve ser sempre combinar as melhores condições possíveis para a pessoa que vai visitar te encontrar, mas se precisar escolher entre ter algo “mais bonito” ou “mais funcional”, lembre-se que um design que não funciona é um design ruim e priorize sempre a funcionalidade! :)

 
Confira também:
E-book 5 Dicas de SEO


  • 1
Exibindo 1 de 1

Carregando...