Tendências 2022: sua empresa cada vez mais digital

Você pode perguntar para qualquer um. Todo mundo que realiza as tarefas comuns da vida: trabalhar, estudar, viajar, socializar, comprar e vender, só para citar algumas, sentiu, no mínimo, alguma diferença no jeito de viver, especialmente nos dois últimos anos. A crise sanitária mundial responde por grande parte destas mudanças que, para muitos, deixou um saldo negativo.

Mas ela também serviu para acelerar o progresso tecnológico. Forçou a imensa maioria a mudar o comportamento diário em praticamente tudo. Hoje é difícil pensar em alguma atividade econômica fora do esteio da modernidade.
  
O empreendedor, assim, não pode mais deixar de se preocupar com as tendências no seu nicho de atuação. Se quiser continuar competitivo, tem que se atualizar e procurar saber o que o seu cliente está esperando dele.

A partir de agora, você vai ficar por dentro das tendências que 2022 entrega. E agora é uma boa hora para isso. Este artigo foi escrito para te deixar preparado para os próximos tempos. Confira:

Tendências do varejo
O varejo, de forma geral, vai continuar recebendo um grande número de novidades que vão ser benéficas tanto para o comerciante quanto para o consumidor. 

Pagamentos
Uma das mais fortes inclinações para 2022 é a continuidade da evolução dos sistemas de pagamento. O comportamento de compra do consumidor brasileiro mudou, isto é fato. 

Dessa forma, os tradicionais cartões de crédito e débito e boletos somam-se aos mais recentes aplicativos e ao PIX, e os consumidores esperam que todos estes métodos sejam aceitos pelos estabelecimentos. 

Para provar que o mais novo sistema de transferências eletrônicas veio para ficar, o Banco Central divulgou números impressionantes. O PIX, no primeiro ano de funcionamento, teve mais de 105 milhões de usuários cadastrados como pessoas físicas e 7,4 milhões como pessoas jurídicas.

Nesse período, mais de 1,2 bilhão de transações foram executadas. Apesar de parecer difícil de imaginar, já que são números absurdamente altos, a tendência é de crescimento. O PIX é um método tão simples de cadastrar e usar que a grande maioria dos clientes vai comprar pensando em pagar por este método, mesmo nos mais modestos estabelecimentos. Sendo direto: quem não aceitar PIX, vai perder muitas vendas enquanto não o fizer.

Sustentabilidade
Antes era encarado apenas como uma moda, uma coisa bonita mas nada muito séria. Hoje não é mais assim. A preocupação com o meio ambiente já se tornou uma real preocupação do novo consumidor. Pode ser, e muitas vezes é, fator determinante para compra ou não de algum produto.

As ações sustentáveis, como a não emissão de carbono, a não utilização de materiais agressivos à natureza e uma política de respeito ao planeta ganham a preferência dos clientes mais atualizados e favorecem o negócio que decide adotá-las.

A escolha por uma marca ou outra passa por uma série de fatores: desde a escolha do tipo de embalagem até os processos logísticos. A competitividade no mercado depende, e muito, de ações verdadeiras de sustentabilidade.

Omnichannel
Este é o nome que se dá a uma estrutura comercial que permite aos clientes contar com múltiplos canais de atendimento que operam de forma conectada. A ideia é fazer com que os clientes vivam uma experiência de compra otimizada não importando de que maneira o fazem.

O sistema de múltiplos canais oferece segurança ao consumidor. Uma pesquisa da Ayden, empresa holandesa de pagamentos, afirma que 71% dos entrevistados confiam mais em uma empresa que permite a compra on-line e uma possível retirada ou devolução física, sem contratempos. Igualar o físico e o on-line é necessário para construir um bom relacionamento com o cliente e fidelizá-lo. 

Diferentes públicos
Foi-se o tempo em que só os mais jovens preferiam comprar via rede. Já dissemos que o perfil dos clientes mudou. Como a pandemia obrigou quem não via com bons olhos a internet, então as faixas etárias que passaram a adquirir produtos ou assinar serviços estão mais variadas.

Então, agora temos crianças, jovens, adultos de perfis diversos e idosos. Todos eles ativos, com necessidades e interesses diferentes. Aí está mais um aspecto a que as empresas precisam se atentar.

Redes sociais
O potencial para vendas nas redes sociais não vai parar de crescer. Ela já tem e vai continuar desempenhando um papel fundamental na estratégia omnichannel.

Em 2022, invista neste campo, usando as ferramentas nativas no Facebook e no Instagram, como o feed. Aliadas às tecnologias de pagamento, o comércio B2B e B2C crescerá e ficará cada vez mais vantajoso para quem se adaptar.

Live commerce
O método live commerce está crescendo e aparecendo. O comércio eletrônico observou o potencial que as transmissões ao vivo no Youtube tem para alcançar a grande massa. 

Então, a inovação fica por conta de um formato que lembra muito os antigos programas de televisão apresentados por figuras carismáticas que anunciavam produtos ao mesmo tempo que animavam o público.

A mesma ideia se aplica aos live commerces. São uma mescla de shows artísticos com anúncios, patrocinados pelos varejos. Quem comanda estas lives geralmente são cantores, influenciadores e outras personalidades de peso. Espere ver cada vez mais esta estratégia sendo usada em 2022.

Re-Commerce
Este já é um nicho bem específico, mas este tipo de negócio está se solidificando e estarão em destaque em 2022. Ele se trata da recompra e revenda de artigos usados. As plataformas OLX, Mercado Livre e Enjoei são bastante representativas no Re-Commerce.

Outra pesquisa, agora da OLX, indicou que 39% das pessoas entrevistadas compraram pelo menos um produto seminovo na internet em 2021. E destes, 45% iniciaram esta prática depois do início da pandemia. Se você pensa em atuar no ramo, é interessante aproveitar a tendência.

Conversational Commerces
É uma estratégia que vai na contramão do isolamento social: ela tem o objetivo vender promovendo a interação social dentro dos limites atuais, é claro. A ferramenta principal para isso são aplicativos de conversação e mídia social.

Mas outros recursos podem ser empregados, como a inteligência artificial, aplicada por meio de chatbots e outros que remetem ao tratamento do cliente como indivíduo, procurando observar os seus desejos e necessidades específicas.

Um estudo do Facebook aponta que 66% dos consumidores ativos confiam mais em uma empresa que mantém um canal de comunicação pelos aplicativos de mensagens.

O marketing digital e suas tendências
As práticas de marketing digital também vão se aprimorar em 2022 e nos anos à frente, já que o objetivo não é apenas manter os clientes já existentes. Mais do que isso, é preciso atrair novos consumidores. 

Experiência por voz
Os dispositivos de voz também vão assumir uma boa fatia do comércio eletrônico. Siri, Cortana, assistentes do Google e do Android são as ferramentas apropriadas para esse tipo de negociação. 

Um levantamento da Juniper Research apontou que o faturamento comercial via dispositivos de voz pode alcançar US$ 19,4 bilhões até 2023. A Alexa, da Amazon, já ganhou uma série de recursos via voz, e as transações são apenas mais um deles.

Inteligência artificial
Representando o uso da IA, temos os bots, que são capazes de conduzir um cliente ao longo de processos diversos, como compras e suporte. Quando os chatbots começaram a aparecer, a impressão que se tinha era de algo muito artificial.

Entretanto, a tendência para os próximos anos é de que o relacionamento com os humanos seja aperfeiçoado, trazendo uma experiência superior. Hoje os bots contam com uma projeção de aumento de 24% em 2022, considerando um investimento de US$ 1,2 bilhões de dólares nestas ferramentas.

Prazos de entrega diminuídos
A pandemia fez o consumidor comprar mais pela internet e, ao mesmo tempo, ele se acostumou a receber seus produtos em casa e com agilidade.  A tendência é que o aprimoramento logístico continue, para toda e qualquer categoria.

Conforme a concorrência vai aumentando, a velocidade na entrega passa a ser um diferencial poderoso. O preço do frete, igualmente, ganha um peso considerável. Quem oferece frete grátis ou o menor leva o cliente. Comodidade e rapidez: isto é o que o consumidor deseja agora.

As relações internas nas empresas
É importante entender, também, que as mudanças que os próximos tempos vão ocasionar não atingem apenas os clientes. Vão haver mudanças internas nas organizações, que vão alterar o modo de trabalhar. 

Modelo híbrido
Como a crise sanitária chegou abrupta e repentinamente, muitas companhias se viram desorganizadas e impedidas de seguir seus métodos normais de trabalho. O home office passou a ser, em muitos casos, a única opção para continuar as atividades.

Mas uma grande parte daquelas que decidiram retomar os afazeres presencialmente experimentaram um descompasso entre gestão e colaboradores. Então, a solução foi encontrar um meio-termo para diminuir os prejuízos no desempenho dos trabalhos. 

O modelo híbrido de trabalho - parte digital e parte presencial - ganhou espaço e agora é mais uma tendência para 2022 e os próximos anos. 

Uma pesquisa conduzida pelo IDC Brasil para Google Cloud, de 2021, revelou que 43% das empresas participantes optaram pelo método híbrido com rodízio de colaboradores, o que tem possibilitado novas formas para o desempenho das atividades, não importando a distância.

Análise de dados
Agora métricas e análises já fazem parte da realidade das empresas mais preparadas. O objetivo desses estudos é verificar o desempenho organizacional como um todo e encontrar um direcionamento para uma melhor tomada de decisão e consequente aprimoramento.

O Big Data é a técnica que permite estes levantamentos. Os dados são inicialmente desestruturados, mas após tratamento com ferramentas adequadas, fornecem informações valiosas para a melhoria de todos os setores. A equipe de TI é a mais indicada para assessorar a gestão no uso do Big Data.

Outra possibilidade para análise de métricas são os softwares desenvolvidos para este fim. O mais conhecido é o Google Analytics, gratuito. Para exemplificar, os dados que o Analytics disponibiliza vão desde os valores que você vendeu, qual o desempenho dos colaboradores, qual o produto que tem mais saída, os números de visualização do seu site, até a taxa de abandono e muitos outros.

De posse destes parâmetros numéricos, fica mais fácil a implantação de novas estratégias organizacionais ou a reformulação delas, se preciso.

Transformação digital
Para que todas estas tendências surtam o efeito que se espera, o ideal é que todas elas estejam reunidas em um ambiente propício. E o que vai proporcionar esse cenário é a transformação digital.

Das propensões que falamos até aqui, a transformação digital é a mais profunda. Podemos dizer isso porque envolve muito mais do que apenas o simples uso das ferramentas tecnológicas atuais. Envolve a cultura da organização. Envolve modificar o jeito de pensar da gestão, seus sistemas e processos.

Um exemplo de influência da transformação digital é a presença multicanal (omnichannel). Para que a prática de compra seja excelente, o consumidor, como já dito, não deve perceber diferença entre um canal de venda e outro. A meta é que ambos entreguem uma experiência de alta qualidade.

A transformação digital traz com ela seus princípios fundamentais, que têm muito que ver com as diretrizes para o futuro das empresas. Veja:

Feedbacks
O retorno dos clientes internos, os colaboradores, são importantes também. Eles devem ser tratados como instrumentos  para aprimoração dos produtos e serviços, sempre com a finalidade de trazer público e ganhar clientes.

Foco no cliente
Os recursos digitais precisam ser usados para entender as necessidades do cliente. Se para o seu negócio isto já é uma prática consolidada, excelente. Mas se não, não perca tempo, porque é a partir deste conhecimento que tudo na organização será dirigido.

Flexibilidade
Compreender as necessidades do cliente é de suma importância para acompanhar os passos da modernidade. Os desejos dos consumidores podem mudar de uma hora para a outra e, assim, é preciso que a empresa use de flexibilidade para garantir que o fluxo de trabalho possa rapidamente ser alterado, já que o foco da transformação digital é a satisfação do cliente.

Logística
Este é um outro exemplo de aplicação das tendências para 2022, integrada com a digitalização. O processamento dos controles de estoque, armazenamento e entrega ganharão celeridade, ao mesmo andar do desenvolvimento de recursos tecnológicos.

Então, fique preparado para os novos tempos. Conhecer as maneiras como a tecnologia está sendo usada é o que vai fazer a diferença da sua empresa para os concorrentes.

 
Confira também:
E-book 5 Dicas de SEO


  • 1
Exibindo 1 de 1

Carregando...