Redes sociais ou sites próprios?

O que você julga mais importante para o seu negócio quando se trata de divulgar os seus serviços? Instituir um site para ser referência da sua empresa na internet ou construir uma página nas redes sociais, já que são frequentadas todo dia por bilhões de pessoas?

Talvez este dilema atormente os empreendedores, em especial os que estão dando os primeiros passos no mundo comercial. Há quem acredite que seja uma questão fácil de ser resolvida e que não precisa ser tão debatida.

No entanto, quem se preocupa com o investimento em presença digital quer considerar o momento em que estamos na tecnologia de comunicações, o objetivo a que se quer chegar e quais caminhos adotar para obter os melhores resultados. 

Portanto, não é incomum aparecerem dúvidas sobre o que é melhor. Elas surgem porque os empresários, na maioria das vezes, não sabem onde vão obter os melhores resultados, se no tráfego de um website próprio ou nos views do Facebook ou do Instagram.

Outros empreendedores estão cientes de que podem trabalhar com as duas ferramentas, mas ficam em dúvida sobre o que criar primeiro.

Mas será que é mesmo necessário ter que escolher entre um site ou redes sociais? Dá para conciliar ambos os recursos? Será que um substitui o outro? As respostas para estas questões e mais diversos outros pontos vão ser abordados agora.

Continue conosco!

A importância de um site próprio
É indiscutível a importância de contar tanto com um site próprio quanto com um perfil nas redes. E cada uma por seus próprios motivos, que vão desde a credibilidade proporcionada por um domínio personalizado quanto à visibilidade que uma rede como o Facebook oferece.

O site específico para sua empresa precisa contar com características para fazer dele um sucesso: tecnologia responsiva, boa construção e otimização para motores de busca, como o Google. Isto já proporciona uma plataforma em que os clientes se sentirão seguros para comprar e fazer transações financeiras.

Existem selos de confiabilidade que podem acrescentar segurança na hora de comprar. Ela vai atrair consumidores novos, que podem fechar negócios mesmo conhecendo pouco a marca. E uma boa seleção de palavras-chave pode fazer com que ainda mais pessoas sejam direcionadas a você.

Um site adequado traz credibilidade, principalmente por contar com um domínio próprio. Age como um cartão de visitas. É a instituição, o estabelecimento da sua marca na internet. 

Não importa o tamanho, todo negócio precisa estar presente digitalmente. Infelizmente, nem todas as empresas percebem a necessidade de construir a própria página. 

Um grande benefício é o potencial para personalização. O webdesigner, a serviço do empresário, pode criar o layout e dispor os objetos na página da forma que ele julgar melhor e, dessa maneira, montar uma identidade visual que não permita aos visitantes se esquecer tão facilmente da marca.

Por falar nisso, o conteúdo pode, em um site próprio, ser produzido com mais autonomia, o que permite destacar os diferenciais e pontos fortes da empresa. Isso inclui a qualidade dos serviços e produtos oferecidos.

Com um domínio próprio, é bem fácil acompanhar e medir os resultados. Você pode usar uma ferramenta de análise, como o Google Analytics, que permite coletar dados relativos ao desempenho, como o perfil dos visitantes, em qual momento do dia eles mais acessam, quais as páginas mais acessadas do site, número de cliques, tipos de dispositivos e muito mais.

Se o site contar com um blog, poderá trazer mais tráfego de qualidade. Quando for abastecido com conteúdo relevante e preparado com técnicas de SEO, será mais facilmente localizado pelo Google.

A importância da presença nas redes sociais
Um bom número de empresas ainda é resistente quanto ao uso das redes sociais. Algumas talvez não as usam por não conhecerem ou por não acreditarem no poder de alcance delas, julgando-as desnecessárias. Outras até sabem que podem ir muito longe por meio do Facebook ou do Instagram, mas alegam que não dispõem de tempo para produzir e atualizar conteúdo.

Por outro lado, o número das organizações que as aprovam e as empregam sobe consideravelmente. Uma pesquisa da agência eMarketer, de 2016, mostra que o Brasil é o país que mais possui perfis em redes sociais na América Latina e um dos que mais tem usuários no mundo. De acordo com o levantamento, à época, 93,2 milhões de brasileiros possuíam uma conta em pelo menos uma rede social.

Não há dúvidas de que este número tende a aumentar com o passar do tempo, tendo em vista que as pessoas estão cada vez mais habituadas a frequentar as redes sociais, sendo que muitas não passam sequer um dia sem visitar os próprios perfis.

Estar presente numa rede social é fundamental para ser conhecido. Ela leva o seu negócio até onde o seu público está, independentemente de faixa etária, classe social e outros fatores. Veja alguns motivos pelos quais muitas empresas investem nas redes:

Gratuidade
A inscrição nas redes sociais é gratuita. Só isso já motiva um grande número de empresas a aderir a esse método de comunicação.

Interação
Este é um dos principais motivos que fazem com que as grandes marcas apareçam. Visite o perfil de uma grande loja no Instagram, por exemplo. Sem dúvida você encontrará uma infinidade de comentários e perguntas sobre horário de funcionamento, sobre produtos e mais uma enxurrada de assuntos.

Os directs são uma maneira prática e simplificada de responder aos questionamentos dos visitantes e construir uma boa relação com eles. Dados de um estudo publicado no site da Oberlo mostra que 73% das marcas entrevistadas, classificam a experiência que tiveram ou ainda têm com o marketing nas redes sociais como “positivas” ou “muito positivas”.

As diferenças entre as redes sociais e os sites
Elas começam na capacidade e na forma de mensurar os resultados. No caso de um site, por exemplo, aplicam-se ferramentas como o Google Analytics. Ele pode medir, dentre muitas outras coisas, o tempo de permanência na página. Este é um fator importantíssimo para gerar um maior volume de vendas. Quanto mais tempo o visitante passa no site, maior a chance de converter esta visita em venda.

Nas redes sociais, as métricas trazem maiores informações sobre segmentação. Então, por elas é fácil descobrir o perfil de público que você está atraindo. Melhor ainda, dá para saber se as pessoas que estão chegando a você são de fato o seu público-alvo.

A forma de expor os conteúdos também sofrem uma diferença: nas redes sociais elas precisam ser atualizadas com mais constância, porque o fluxo de pessoas é muito grande e muito rápido. Já nos sites as informações podem ser atemporais e mais completas do ponto de vista institucional.

A construção do conteúdo também muda de uma plataforma para outra. Enquanto os sites próprios geralmente comportam mais texto e uma descrição mais detalhada sobre os produtos e serviços, nas redes sociais a ideia é usar textos mais curtos e mais imagens, tornando as informações mais objetivas e simplificadas.

A partir de agora, conheça um pouco das vantagens e desvantagens tanto dos sites quanto das redes sociais.

Vantagens e desvantagens dos sites
Como dito, uma das maiores vantagens em se construir um site próprio é a chance de transmitir profissionalismo, segurança e, assim, cativar o consumidor daquelas empresas que ainda nem se preocuparam em aparecer no mundo virtual.

O site particular também tem a cara da empresa. Mesmo que o desenvolvedor use layouts prontos, ele ainda poderá incluir cores, logotipos, objetos e o que mais precisar a fim de criar a identidade visual.

A distribuição do conteúdo também fica a critério do desenvolvedor, o que proporciona maior autonomia para a criação. Desta maneira, o empresário pode ressaltar seus pontos fortes e seus diferenciais competitivos.

Você pode integrar ferramentas que permitam conhecer informações que ajudarão a tomar decisões mais acertadas, desenhando ou remodelando as estratégias de marketing, a fim de atrair o público desejado.

O marketing de conteúdo, quando bem aplicado, pode trazer um alto número de internautas. Segundo o próprio Google, mais de 100 bilhões de buscas são feitas todos os meses. Assim, quem tiver um bom site pode ser facilmente encontrado.

Há quem pense que desenvolver um site é caro e está além dos poderes do comerciante comum, e que só grandes empresas podem se dar ao luxo de ter um. Este é um pensamento totalmente equivocado. A situação não é mais essa. Hoje os sites se tornaram coisas comuns, que qualquer pessoa pode ter, devido à sua popularização.

Assim, existem sites que podem ser produzidos gratuitamente, mas que não possuem tantos recursos como aqueles que são pagos, desenvolvidos por empresas especializadas. Os sites, assim como uma casa, requerem manutenção periódica. Caso isso seja negligenciado, eles podem deixar de atrair os consumidores, perdendo a serventia.

Outra coisa que muitos podem encarar como desvantagem é a necessidade de pensar em atualizações e novas estratégias de SEO (otimização para motores de busca), já que o Google sempre cria novas regras para exibição nas páginas de resultados.

Vantagens e desvantagens das redes sociais
O ponto forte das redes sociais é a interação com os usuários. Gente de todo tipo, origem e condição financeira está presente, sempre com a possibilidade de comunicação instantânea com você e sua marca.

Como tudo hoje é muito rápido pela internet, uma das primeiras coisas que muitos consumidores fazem ao pensar em comprar algo pela primeira vez é pesquisar nas redes sociais em busca de informações. 

A Social Commerce, realizada pela All iN | Social Miner, revela que 74% dos brasileiros usam a rede social para fazer compras. O mesmo estudo indica que, destas pessoas, 62% consulta o Instagram e 61%, o Facebook, na busca de informações sobre o que desejam comprar.

Esses números tendem a aumentar, já que as redes sociais permitem comentários positivos sobre a experiência de compra e a qualidade dos produtos. Isso pode estimular novos compradores.

Mas as redes sociais, sozinhas, não fazem tão bem o papel de demonstrar profissionalismo. Para alguns consumidores, a empresa que apenas tem um perfil na rede social mas não tem um site próprio é apenas iniciante, e, portanto, pouco confiável. Isto até faz algum sentido, porque para criar um perfil numa rede social não é preciso investimento financeiro.

Outra questão a se considerar é que as redes sociais podem um dia perder popularidade ou mesmo acabar. Foi o que aconteceu com o todo-poderoso Orkut, que morreu com pouco mais de 10 anos de existência.

Mas o mais complicado de lidar é a concorrência. Justamente por não exigir investimento, são bilhões de perfis ativos e mais surgindo todo dia. Então, caso o cliente não encontre na sua marca o que ele procura rapidamente, pode com facilidade procurar em outro lugar.

O que é melhor, então?
Embora uma empresa possa utilizar os dois recursos, redes sociais e sites, hoje se recomenda fortemente a utilização dos sites particulares. Isto ocorre por motivos diversos:

Aplicabilidade de marketing de conteúdo
As estratégias de marketing de conteúdo, quando o site conta com blogs, podem ser aplicadas de acordo com o que o proprietário decidir. As técnicas de SEO podem ser empregadas para atingir o objetivo desejado da maneira que for melhor.

Propriedade sobre informações e dados
Ao depender apenas das redes sociais, você fica refém das políticas de uso deles e da mecânica de exibição de conteúdos que as redes sociais proporcionam. Afinal, a rede social não é do empreendedor, é de todos.

Apesar de hoje estar em vigor a Lei Geral de Proteção de Dados, é importante lembrar que os dados que entram em uma rede social sempre poderão ser vistos por uma quantidade inimaginável de pessoas. Isto pode ser bom por um lado, mas não se sabe onde dados importantes vão parar.

Então, para o bem da sua organização e em prol do bom relacionamento com os clientes, procure construir um canal particular de comunicação com eles.

Endereço próprio
Possuir um domínio próprio torna a sua marca mais fácil de divulgar. Um endereço em uma página de rede social dá mais trabalho, especialmente se for por meio do telefone ou de um cartão de visitas. 

Pode haver várias opiniões sobre o assunto, mas a verdade é uma só: um site próprio oferece muitas vantagens que as redes sociais não têm.

Quando se tem um endereço do tipo “www.suamarca.com.br”, é mais fácil que o cliente se lembre do lugar onde você está, além do fato de que a credibilidade transmitida é muito maior.
Confira também:
E-book 5 Dicas de SEO


  • 1
Exibindo 1 de 1

Carregando...